Um artigo publicado na edição de Julho do Journal of the American Academy of Child & Adolescent Psychiatry mostra que algumas doenças psiquiatras na infância estão relacionadas à um maior risco de desenvolverem vícios (álcool, nicotina ou transtornos relacionados à uso de substâncias) no futuro.

Não é a primeira vez que temos evidências da associação entre transtornos mentais infantis e uso de substâncias, do contrário, existe uma base sólida de estudos neste assunto. Com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, por exemplo, temos uma variedade de estudos explorando diversos aspectos de sua relação com o uso de álcool, drogas e outras substâncias e vício na idade adulta, tais como o papel das comorbidades e da gravidade dos sintomas.

Ainda assim, os autores do artigo ressaltam que os estudos anteriores são limitados em certos pontos e que ainda existem questões não respondidas à respeito de transtornos mentais infantis específicos e argumentam uma inconsistência entre os resultados de outros estudos em relação ao TDAH em comorbidade com Transtorno Opositor-Desafiador (TOD) e Transtorno de Conduta (TC) e o seu papel para risco ao uso de substâncias.

A equipe que conta com pesquisadores da Vrije Universiteit em Amsterdam e da Accare, o Centro para Psiquiatria da Infância e Adolescência no Centro Médico Universitário de Groningen, na Holanda, analisou os dados de 37 estudos anteriores, resultando em um total de 762,187 participantes, aonde 22,029 tinham TDAH, 434 tinham TOD/TC, 1,433 tinham trantorno de ansiedade, e 2,451 tinham depressão.

Os resultados mostraram que indivíduos com transtornos externalizantes (TDAH e TOD/TC) tinham maior risco de desenvolverem trantornos relacionados à uso de substancias mais tardiamente. Da mesma forma, depressão na infância estava associada com maior risco para vício, incluindo uso de substâncias e nicotina.

Os autores trazem algumas hipóteses para explicar este fenômeno, como a da auto-medicação de indivíduos com transtornos mentais, que ocorre para tentar minimizar os impactos negativos de seus sintomas, mas não há base científica que confirme esta hipótese com precisão.

Refêrencias:

Elsevier. “Childhood psychiatric disorders increase risk for later adult addiction: These findings emphasize the need for early detection and intervention.” ScienceDaily. ScienceDaily, 3 July 2017. <www.sciencedaily.com/releases/2017/07/170703083259.htm>.Annabeth P.

GROENMAN, Tieme W.P. JANSSEN, Jaap Oosterlaan. Childhood Psychiatric Disorders as Risk Factor for Subsequent Substance Abuse: A Meta-Analysis. Journal of the American Academy of Child & Adolescent Psychiatry, 2017; 56 (7): 556 DOI: 10.1016/j.jaac.2017.05.004
Categorias: Artigo

2 comentários

Henrique · 20 de outubro de 2017 às 00:01

Bacana.

Rai · 7 de Janeiro de 2018 às 23:40

Bacana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *