Investir na diminuição das desigualdades socioeconômicas e prevenção de eventos violentos durante a infância pode melhorar a saúde mental de jovens de baixa renda, de acordo com um estudo conduzido por pesquisadores da  Columbia University’s Mailman School of Public Health e da UNIFESP.

Os resultados mostraram que, ter passado por qualquer evento traumático e dispor de baixas condições socioeconômicas estavam associados com possuir algum transtorno internalizante como depressão e ansiedade, e um trastorno externalizante incluindo TDAH. Os resultados foram publicados na Revista Brasileira de Psiquiatria.

O estudo foi conduzido em dois bairros da cidade de São Paulo, o bairro Vila Mariana, que possui baixa exposição à violência urbana e alto índice de Desenvolvimento Humano (IDH), e o bairro Capão Redondo, com maior exposição à violência urbana e menor IDH. Ao todo, 180 participantes estudantes de escolas públicas com idade de 12 anos e seus cuidadores foram entrevistados para determinar a influência de eventos violentos do passado e de condições socioeconômicas na prevalência de transtornos psiquiátricos.
Com o uso de entrevistas estruturadas, a equipe de pesquisa liderada por Dra. Silvia Martins, professora associada do Departamento de Epidemiologia da Columbia University (veja seu Lattes aqui), avaliou transtornos psiquiátricos internalizantes (depressão, ansiedade e transtorno do stress pós-traumático) e transtornos externalizantes (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade, transtorno de conduta, e transtorno opositivo desafiador).
Cerca de um quarto (22%) dos jovens possuiam algum transtorno psiquiátrico. Os diagnósticos mais comuns eram depressão (9.5%) e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) (9%), seguidos por transtorno de ansiedade (6%).
Um total de 14% da amostra possuia algum transtorno internalizante, e 15.5% possuia algum transtorno externalizante. Por volta de 60% dos adolescentes com algum diagnóstico havia passado por ao menos um evento de violência ao longo de sua vida.
Em uma entrevista publicada no site Science Daily Dra. Silvia diz: “Se o Brasil investir mais para atacar as desigualdades socioeconômicas assim como previnir exposição à violência urbana na infância e adolescencia, provavelmente o país será capaz de previnir o desenvolvimento de diversos casos de transtornos psiquiátricos na adolescência”

Fontes:

Columbia University’s Mailman School of Public Health. “Exposure to childhood violence linked to psychiatric disorders.” ScienceDaily. ScienceDaily, 8 March 2018. <www.sciencedaily.com/releases/2018/03/180308120557.htm>.
Thiago M. Fidalgo, Zila M. Sanchez, Sheila C. Caetano, Solange Andreoni, Adriana Sanudo, Qixuan Chen, Sílvia S. Martins. Exposure to violence: associations with psychiatric disorders in Brazilian youthRevista Brasileira de Psiquiatria, 2018; (0) DOI: 10.1590/1516-4446-2016-2122
Texto original: Science Daily
Traduzido e adaptado por Leonardo Seda
Categorias: Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *